DNF – Gerenciamento de pacotes do Fedora 24

O DNF (“Dandified YUM”) é uma nova geração de gerenciador de pacotes para distribuições Linux baseadas em pacotes RPM. O DNF foi introduzido pela primeira vez no Fedora 18, e substituiu o YUM na versão mais recente, Fedora 24.

A ideia por trás do DNF é conseguir um aumento na performance e velocidade em relação ao YUM, além de melhorar o uso da memória e a resolução de dependências, entre outros fatores.

O DNF  só está disponível nativamente no Fedora Linux, no momento. Mas você pode instalá-lo em outros sistemas baseados em RPM se quiser usá-lo no Red Hat ou CentOS, por exemplo. Para isso, execute os comandos a seguir:

Usando o DNF para gerenciar pacotes:

1. Verificar a versão do DNF:
dnf –version

gerenciador-de-pacotes-dnf-01

2. Verificar os repositórios habilitados e desabilitados:
dnf repolist all

gerenciador-de-pacotes-dnf-02

3. Listar somente os pacotes instalados:
dnf list installed

gerenciador-de-pacotes-dnf-03

4. Listar somente os pacotes disponíveis:
dnf list available

gerenciador-de-pacotes-dnf-04

5. Listar todos os pacotes (instalados e os disponíveis):
dnf list

gerenciador-de-pacotes-dnf-05

6. Procurar um pacote usando o dnf:
dnf search stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-06

7. Visualizar dados sobre um pacote:
dnf info stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-07

8. Instalar um pacote:
sudo dnf install stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-08

9. Atualizar um pacote já instalado:
dnf upgrade stellarium

10. Verificar e atualizar pacotes:
Verificando atualizações: A maneira mais rápida de verificar atualizações é tentar instalar as atualizações disponíveis usando o comando abaixo:
 dnf upgrade
Obs.: Observe que esse comando instala apenas as atualizações que podem ser instaladas. Se um pacote não pode ser atualizado, por causa de problemas de dependência, por exemplo, ele é ignorado.
11. Verificar atualizações do sistema com o DNF:
dnf check-update

Obs.: esse comando pode ser usado para saber quais pacotes instalados em seu sistema possuem novas versões disponíveis, no entanto, isso não significa que elas possam ser instaladas com sucesso.

gerenciador-de-pacotes-dnf-update-10

12. Atualizar todos os pacotes no sistema:
dnf update

gerenciador-de-pacotes-dnf-update-11

Ou como root entre no terminal:
su
Agora digite o comando para atualizar o sistema:
dnf update -y
13. Remover um pacote:
dnf remove stellarium
ou
dnf erase stellarium
gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-12
14. Remover pacotes órfãos (que não são mais utilizados por nenhum programa):
sudo dnf autoremove
 gerenciador-de-pacotes-dnf-autoremove-13
 15. Obter ajuda do DNF:
dnf help

ou

man dnf
gerenciador-de-pacotes-dnf-help-14
16. Visualizar o histórico do DNF (comandos executados anteriormente):
sudo dnf history
gerenciador-de-pacotes-dnf-history-15
17. Listar todos os grupos de pacotes:
dnf grouplist
gerenciador-de-pacotes-dnf-grouplist-16
18. Instalar todos os pacotes pertencentes a um grupo:
sudo dnf groupinstall ‘Laboratório de Eletrônica’
gerenciador-de-pacotes-dnf-groupinstall-eletronica-17
19. Atualizar um grupo de pacotes:
sudo dnf groupupdate ‘Laboratório de Eletrônica’
20. Remover um grupo de pacotes:
sudo dnf groupremove ‘Laboratório de Eletrônica’
21. Sincronizar os pacotes instalados com as versões mais estáveis nos repositórios:
dnf distro-sync
gerenciador-de-pacotes-dnf-distro-sync-20
É isso pessoal espero que ajude a aprender um pouco mais sobre o DNF.
Até a próxima!

Comandos para atualizar o Fedora

DNFO Gerenciador de Pacotes do Fedora.

Para quem já utilizava o Fedora como sistema operacional, notou que após a instalação da versão 22, o gerenciador de pacotes YUM (Yellowdog Updater Modified) deixou de funcionar, isso ocorreu porque a equipe de engenheiros do Fedora passou a disponibilizar o DNF como o gerenciador de pacotes principal da distribuição.

Para todos que acompanham as novidades da distribuição, esta não é exatamente uma novidade, pois desde a versão 18 “SphericalCow” a equipe do Fedora vem disponibilizando o DNF para teste. Mas para aqueles que nunca utilizaram uma versão Linux em sua vida, acredito que devem estar se perguntando, mas o que é afinal um Gerenciador de Pacotes?

Nas distribuições mais robustas como o Fedora, a instalação de software é feita com um software denominado de Gerenciador de Pacotes. O Gerenciador de Pacotes do Fedora trabalha com arquivo de extensão RPM, que nada mais é do que um conjunto de arquivos binários compactados que compõe um determinado aplicativo, neste caso, o Gerenciador de Pacotes obtém os arquivos RPM dos repositórios (servidores online, CDs, DVDs, etc) resolvendo as dependências de instalação e por fim instalando o aplicativo em seu sistema. O YUM é o antigo gerenciador de aplicações do Fedora que a partir da versão 22, passa a ser substituído pelo DNF.

O DNF é um fork do YUM 3.4 e com a liberação da versão 1.0 do DNF chega à hora de ativá-lo no Fedora, com isso o YUM passa a não mais funcionar em uma instalação limpa do Fedora, porém é possível, em momento, instalá-lo e manter ambos ao mesmo tempo.
O grande motivo desta mudança é que o YUM não suporta o Python 3, além disso, a API está em situação irregular, o algoritmo de resolução de dependência está quebrado e existe a incapacidade de refatorar as funções internas no código do YUM. O DNF foi totalmente reescrito para que seja compatível com todas estas aversões apresentadas pelo YUM.

Uma das boas novidades do DNF é a resolução de dependências, ele apresentou melhor desempenho, menor consumo de memória e um “resolvedor de dependências” que resolve dentro do RPM também. Basicamente o DNF utiliza as mesmas sintaxes do YUM, porém em back-end ele usa algumas bibliotecas específicas, como a libsolv e a hawkey.

As especificações do DNF estão documentadas no site: Read the docs e todos os plug-insdo YUM estão sendo migrados para o DNF e atualmente a equipe do DNF está trabalhando em portar estes plug-ins populares do YUM para melhorar a experiência do usuário.

Os comandos existentes para o DNF são: autoremove, check-update, clean, distro-sync, downgrade, group, help, history, info, install, list, makecache, provides, reinstall, remove, repolist, repository-packages, search, updateinfo, upgrade e upgrade-to, podendo ser utilizados com as seguintes opções –allowerasing, –assumeno, –best, -C, –cacheonly, –disablerepo, –enablerepo>, -q, –quiet, -y, –assumeyes, etc. Obviamente aqui estão os mais comuns, para ter uma lista completa basta acessar a página de documentação do DNF.

Para instalar um pacote de aplicativo, utilizaremos a seguinte sintaxe:

dnf -y install nome_pacote

Para remover pacotes:

dnf -y remove nome_pacote

Agora mãos a obra, vamos iniciar o processo de configuração e a pós-instalação de nosso sistema operacional, para que possamos ter um sistema utilizável e com todos os recursos necessários para nosso dia a dia.

Efetuando a primeira atualização do Fedora.

A primeira tarefa a ser feita após instalar o Fedora é atualizá-lo para receber atualizações de segurança, correções de erros, novas versões dos pacotes e softwares mais recentes.

# Acesse o modo superusuário.
su

# Digite a sua senha de superusuário
Senha

# Digite o comando de atualização do sistema
dnf upgrade

Feito isso aguarde todo o processo de instalação da atualização, dependendo de sua conexão com a internet isso pode demorar bastante ou talvez quase nada.

Aconselho que após o processo de instalação, você efetue a reinicialização do sistema, pois esta atualização irá atualizar o Kernel de seu sistema Operacional e a única forma de subir as funcionalidades do novo Kernel é reiniciando o sistema.

A distribuição Fedora disponibiliza periodicamente novas atualizações, podendo chegar a serem diárias estas atualizações, dependendo da criticidade da correção, por este motivo deve-se efetuar este processo de atualização periodicamente.

M0009-004

Para efetuar atualizações de pacotes e do sistema

# verifica o que tem para atualizar 
dnf check-update 
# efetua a atualização 
dnf update -y 
# atualiza todos os pacotes do sistema 
dnf -y upgrade

Obs.:  não é necessário digitar as linhas que estão iniciadas pelo caractere “#”.

Referência: Guia Linux Fedora

Até a próxima!