Unity 7 tem novo recurso para melhorar desempenho

Low Graphics Mode no Unity 7.

Um novo recurso interessante foi adicionado ao Ubuntu 16.04 com Unity pela Canonical, o “LOW-GFX” permite que o sistema rode melhor em computadores que não tem placas gráficas muito potentes, conheça a mudança e veja como ativar no seu sistema.

A Canonical atendeu ao pedido dos usuários que acham que o Unity 7 é pesado demais para computadores modestos, desta forma, mesmo computadores que não possuem uma boa aceleração gráfica poderão usar o sistema.

Basicamente, o que faz o Unity 7 ser pesado, são as suas transparências e “fades”, então, deixando estas opções opacas, o impacto para uma placa gráfica modesta é muito menor.

O recurso em si não é novo, veja aqui, o procedimento é válido para o Ubuntu 14.04 LTS por exemplo, porém, até então não existia uma opção simples para ativar esta funcionalidade, pelo menos até agora. O recurso de “low graphics mode” também é possível de ser atingido através do Unity Tweak Tool, basta ter um pouco de paciência para configurar tudo direitinho.

Basicamente, a opção “low-gfx“, adicionada recentemente como uma opção no Compiz, que desabilita todas estas opções que fazem o Unity 7 ser pesado.

As melhorias foram feitas para reduzir a quantidade de efeitos visuais que são vistos durante a execução em modo gráfico baixa. Em um nível alto Isso inclui coisas como:

  • Reduzir a quantidade de animação em elementos tais como a janela switcher, lançador e menus (em alguns casos até zero)
  • Removendo borrão e fade in / out
  • Reduzindo as sombras

Com Low Graphics Mode habilitado, em seguida, a janela só é desenhado uma vez em 0 % de transparência (totalmente opaco) e só precisa ser enviada para a extremidade remota uma vez, reduzindo a sobrecarga e acelerar a experiência do usuário.

Veja como você pode fazer para habilitar o Low Graphics Mode no Ubuntu 16.04 LTS.

Passo 1) Abra um terminal e digite:

nano ~/.config/upstart/lowgfx.conf

Passo 2) Agora copie e cole isto para ele:

start on starting unity7
pre-start script
    initctl set-env -g UNITY_LOW_GFX_MODE=1
end script

Passo 3) Salve e saia.

Passo 4) Reinicie o computador para que todas as mudanças tenham efeito.

Obs.: Se você quiser parar de usar o Low Graphics Mode, comentar a linha initctl, colocando um ‘#‘ no início da linha.

Dica adicional para otimizar a velocidade.

Existem vários “pequenos truques” que você pode fazer para otimizar a velocidade do sistema, além, é claro, desta configuração.

Se você usa Unity Tweak Tool para fazer alguns ajustes, haverá uma configuração que pode ser feita na sessão “Gerenciamento de janelas“, na aba “Geral“, que permite a você colocar a Aceleração de Hardware/Qualidade de textura no modo “Rápido” e em Animações, desabilitar as animações das janelas (Window Animations), isso certamente vai acelerar o seu  Unity 7.

unity-tweak-tool-3

É isso, você logo perceberá que o Unity está mais opaco, leve e veloz.

 

Fonte: Whizzy.org, Ubuntu Insights, Diolinux.

Até a próxima!

Instalar o Preload no Ubuntu 16.04

O Preload é um programa que ajuda a aumentar a agilidade da abertura de programas que geralmente você usa diariamente, navegadores, editores de texto ou players de som. Ele abre em instantes, aumentando sua produtividade.

Além de pequeno, o preload dispensa configurações adicionais para começar a funcionar.

Após instalado, ele se mantém rodando em background, sem solicitar nenhuma intervenção do usuário, monitorando quais são os programas mais utilizados, movendo-os para áreas mais acessíveis do disco, ou mesmo pré-carregando algumas partes de programas mais complexos e muito utilizados, dando um perceptível ganho em velocidade de uso.

As informações são armazenadas em um arquivo que servirá como cache para os programas na memória RAM para que aumente a velocidade de carregamento das aplicações quando forem executadas.

Quando você iniciar um programa o sistema não vai buscar os binários e suas dependências no disco rígido e sim na memória, acessando os arquivos neste cache gerado pelo Preload, agilizando o carregamento das aplicações.

Preload não é instalado por padrão no Ubuntu, embora algumas distribuições fazer incluí-lo por padrão. Para instalar Preload, execute os seguintes comandos:

sudo apt-get update
sudo apt-get install preload

650x175ximage34-png-pagespeed-gpjpjwpjjsrjrprwricpmd-ic-jf2vylkw8p

Ou, os seguintes comandos:

sudo apt update
sudo apt install preload

Logo após a instalação o serviço é iniciado automaticamente, sem a necessidade de intervenção do usuário, mas recomendo que faça a inicialização manual.

Execute o seguinte comando:

sudo service preload restart

Verifique se o serviço foi iniciado corretamente com o seguinte comando:

ps ax | grep preload

Depois desta etapa, você deverá receber a seguinte resposta ao comando anterior: /usr/sbin/preload -s /var/lib/preload/preload.state

linux-terminal

Com este tutorial você poderá usar o Preload para utilizar parte disponível da memoria RAM do seu computador para melhorar a performance geral do seu desktop Linux.

Se quiser desinstalar o Preload:

Para desinstalar somente Preload do Ubuntu 16.04 (Xenial Xerus) execute no terminal:

sudo apt remove preload

Desinstalar Preload e os pacotes dependentes.

Para desinstalar o pacote Preload e quaisquer outros pacotes dependentes que não sejam mais necessários do Ubuntu Xenial.

sudo apt remove --auto-remove preload

Expurgar Preload.

Se você também deseja limpar as configurações e/ou dados de Preload do Ubuntu Xenial então use este comando:

sudo apt purge preload

Para limpar as configurações e/ou arquivos de dados do Preload e de seus pacotes dependentes do Ubuntu Xenial execute:

sudo apt purge --auto-remove preload

 

Até a próxima!

 

 

Reduza o uso do SWAP e melhore o desempenho do Linux.

A memória virtual ou SWAP é um recurso fantástico, que permite rodar mais aplicativos e lidar com arquivos muito maiores.
O Ubuntu abusa deste recurso e você pode por um limite nisto, para melhorar a performance do seu sistema

Na lista de coisas que se pode fazer para melhorar o desempenho do Linux, este é um dos primeiros itens — principalmente em equipamentos com pouca memória RAM (1 Gb ou menos).
Algumas distribuições Linux mais parrudas, como é o caso do Ubuntu, acabam por fazer uso muito intenso do acesso ao disco rígido, o que contribui consideravelmente para a lentidão do sistema como um todo.

Neste post, vou mostrar como reduzir o uso da memória SWAP no seu sistema.
Comumente, separamos uma partição exclusiva, no disco rígido, para a memória SWAP o que é uma boa prática.
Quando o sistema começa a fazer uso excessivo deste recurso, começa também a ficar mais lento, uma vez que o tempo de acesso ao disco rígido é milhares de vezes maior que o tempo de acesso à memória RAM.

A propensão do Ubuntu a usar o SWAP é determinada por um valor — quanto menor este valor, mais tempo o sistema irá demorar antes de começar a fazer uso deste recurso.
A variável (do sistema) que contém este valor, é a swappiness — e pode ir de 0 a 100 (sim, é um percentual).

No Ubuntu e no Red Hat, o valor padrão do swappiness, é 60, o que pode ser muito alto para a maioria dos usuários normais do desktop. Especialistas indicariam este número como mais adequado para servidores.
No desktop, este número pode seguramente ser reduzido. Vou mostrar como.
No Ubuntu, esta variável fica armazenada no arquivo de sistema

/proc/sys/vm/swappiness.

Você pode ver o valor de swappiness do seu sistema com o seguinte comando:

cat /proc/sys/vm/swappiness

O QUE DIZ A DOCUMENTAÇÃO DO RED HAT

«O swapiness é um valor de 0 à 100 que controla o grau para o qual o sistema altera. Um valor alto dá prioridade ao desempenho do sistema, alterando os processos de forma agressiva fora da memória física quando eles não estão ativos. Um valor baixo dá prioridade à interação e evita processos de alteração fora da memória física o quanto de tempo for possível, o que diminui a latência de resposta. O valor padrão é 60.»

Qual o valor mais indicado para swappiness?

Você pode seguir a regra geral, ditada por outros, ou pode fazer seus testes e chegar ao melhor número por si próprio. Só tenha cuidado com os extremos, pois você pode acabar com um sistema inoperante (ou quase).
A minha recomendação é de que você opte por um valor baixo, entre 10 e 20. Isto fará com que o sistema use menos a memória virtual (SWAP) e tente se virar com o que tem, na memória física.
Veja, a seguir, como tornar a mudança do valor do swapiness permanente.

Torne a mudança permanente

A simples alteração do arquivo /proc/sys/vm/swappiness, é inócua e não produz resultado algum.
Se você conseguir alterar este valor, o sistema o retornará ao padrão, assim que for reiniciado.
Você precisa alterar o arquivo /etc/sysctl.conf.
Abra-o com o seu editor de textos favorito (eu vou usar o nano):

sudo nano /etc/sysctl.conf

Agora, copie e cole o seguinte código ao final do arquivo:

#
# Reduz o uso de SWAP
vm.swappiness=10
# Melhora a gestão de cache
vm.vfs_cache_pressure=50

Em seguida, salve e saia do editor.
Reinicie a máquina e veja se houve melhora.

Conclusão.

O uso do SWAP é para situações extraordinárias, quase “emergenciais”. Não faz sentido, portanto, usar memória virtual na maioria dos casos.
Se a carga de trabalho é grande, você deve planejar a aquisição de mais memória física, em vez de resolver (mal) o problema com o uso de memória virtual.

Até a próxima.

Melhorando o desempenho do Ubuntu: Desligar os efeitos visuais.

Nesse post será colocado uma dica (bem simples) e truques que vai resultar em uma performance significativamente melhor do seu sistema.
Se quiser, você pode aplicar apenas as que você julgar convenientes — essa dica foi testada e não teve qualquer problema com seu uso.
O conjunto aplicado destas técnicas, contudo, é que trará os melhores resultados.

Outras soluções

As dicas foram testadas no Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr — mas quem tem menos de 3 Gb de memória RAM, no equipamento, pode obter melhor performance, aplicando-as em um dos spins do Ubuntu, que fazem uso menos intenso do hardware — neste caso, eu sugiro o Xubuntu 14.04 LTS e o Ubuntu 12.04 LTS. Nestas distros, os resultados podem ser bem melhores.

Embora as técnicas tenham sido testadas apenas no Ubuntu 14.04 LTS Trusty Tahr, valem para outras distro também. Em alguns casos, será necessário fazer algumas adaptações para torná-las aplicáveis a distros diferentes.

A melhor forma de solucionar problemas de performance no sistema é adquirir e instalar mais memória RAM, fazer um upgrade do processador, instalar um HD mais rápido etc.
Há inúmeros casos em que um upgrade de hardware não é possível. Este artigo foi escrito para ajudar você a tirar o máximo da sua máquina.

Obs.: Para o Ubuntu 16.04 acesse aqui para saber como fazer.

Desligue os efeitos visuais.

Os efeitos visuais são conhecidos devoradores de recursos. Até a versão 13.10, eles podem ser desligados com uma simples linha de comando em um arquivo de configuração.

Esta dica é simples e aplicável até o Ubuntu versão 13.10. A partir da versão 14.04, dependendo da sua placa gráfica, não haverá diferença — ainda assim, recomendo experimentar a técnica.
Comece abrindo um terminal (Ctrl + Alt + T). Em seguida, abra o arquivo ~/.xprofile e altere a linha:

export UNITY_LOW_GFX_MODE=0

para:

export UNITY_LOW_GFX_MODE=1

Se você não tem o arquivo ~/.xprofile, então use esta linha de comando:

echo "export UNITY_LOW_GFX_MODE=1" > ~/.xprofile

Será necessário deslogar e logar novamente, no sistema, para que a nova configuração tenha efeito. Se achar melhor, você pode desligar e ligar novamente a sua máquina.

Até a próxima.