Criando pendrive do CloudReady OS

Olá pessoal, trago para vocês uma pequeno tutorial para se gravar e fazer um pendrive bootável do CloudReady OS. Usei o comando dd para esse tutorial, porquê não há um gravador Chrome Recovery Utility para Linux, então você pode usar esse tutorial para qualquer distro de Linux: Ubuntu, Fedora, Opensuse, OpenMandriva, Manjaro.

Pré requisitos:
  1. Ter um pendrive de pelos menos 8 GB.
  2. Formatar o pendrive em Ext4 (usei o Gparted).
Baixar o CloudReady:

Entre na página da Neverware aqui para fazer o download.

Obs.: Baixe o arquivo .zip para a pasta Downloads.

Gravando o pendrive:

1) Extraia o binário do CloudReady que tem aproximadamente 5.3 Gb e tem que ser apenas .bin;
1) Conecte o Pendrive USB, e remover todos os outros meios removíveis;
2) Abra um terminal;
3) executar sudo fdisk -l e inspecionar a saída: você deve ver o seu disco rígido como /dev/sda e o Pendrive USB listado como  /dev/sdb;
4) Se o Pendrive USB é definitivamente sdb, você pode usar o comando dd para começar a gravação, então execute este comando:

sudo dd if=/home/tux/Downloads/chromiumos_image.bin of=/dev/sdb bs=4M

Atenção: Onde “chromiumos_image.bin” precisa ser substituído pelo nome exato do binário, também atenção para alterar a pasta com o nome correto do usuário e “/dev/sdX” precisa ser alterado para /dev/sdb MAS SOMENTE QUANDO VOCÊ ESTÁ CERTO QUE O PENDRIVE USB É SDB.

A gravação demora de 15 a 20 minutos. Quando a operação terminar, você terá o mesmo instalador que a Ferramenta de Recuperação do Chrome (Chrome Recovery Utility ) teria feito se fosse no Windows.

Fonte: Community CloudReady.

Até a próxima!

Como alterar a ordem do boot do Grub de Ubuntu por Windows

Geralmente quando temos um Dual Boot, dois ou mais sistemas operacionais em um mesmo HD, sendo que o Ubuntu é um deles, o Grub, Gerenciador da inicialização ou Boot, na maioria dos casos deixa o Ubuntu como sendo a primeira opção.

Em alguns casos os usuários necessitam por algum motivo que o Windows inicie como primeira opção no Boot, sendo assim, o Windows deve aparecer no Grub no primeiro item da lista de inicialização.

Vamos entender algo importante, quando o Ubuntu está no primeiro item da lista, significa que ele está na Posição “0” (zero), conte de zero até a posição em que o outro sistema operacional se encontra. No caso do meu exemplo o Windows está na posição “4” (quatro).

dualboot

Precisamos acessa-lo com um editor de texto como super usuário. Neste exemplo vou utilizar o Gedit para editar o arquivo do Grub.

O arquivo de configuração do gerenciador de boot fica localizado na pasta /etc.

O que temos que fazer é bem simples, abra o terminal, CTRL+ALT+T. O arquivo de configuração é o Grub.

sudo gedit /etc/default/grub

Ao abrir o arquivo procure pela linha onde há a seguinte linha:

GRUB_DEFAULT=0

Agora troque o “0” por “4“, sem aspas, como de fato está, ficando assim:

GRUB_DEFAULT=4

Agora utilize o menu do Gedit e salve a alteração. Feito isso, volte para o terminal, vamos atualizar o Grub. Digite o comando:

sudo update-grub

Está feito, inicialize o sistema e veja a alteração.

Até a próxima!

 

Comando para mudar idioma e Layout do teclado no Lubuntu/Ubuntu 16.04

Se você está com problemas para usar o teclado, mas não consegue por algum motivo entrar nas configurações do Lubuntu 16.04 ou do Ubuntu 16.04, veja esse tutorial para acompanhar o passo a passo.

Passo 1: Entre no terminal e digite o seguinte comando:

sudo dpkg-reconfigure keyboard-configuration

screenshot-2

Passo 2: Colocando o Modelo do Teclado, selecione “Generic 105-Key” e depois pressione a tecla Tab e selecione OK e pressione Enter.

screenshot-3

Passo 3: Secione o País: Português ( Brasil).

screenshot-4

Passo 4: Selecione o Layout do teclado: Portuguese ( Brasil).

screenshot-5

Passo 5: Selecione a função da tecla AltGr: Deixe padrão.

screenshot-6

Passo 6: Em composição (compor): Deixe Não.

screenshot-7

Passo 7: Defina a combinação de teclas Control+Alt+Backspace para encerrar o X server.

screenshot-8

Obs.: As imagens são do Lubuntu 16.04 mas também serve para o Ubuntu 16.04 e derivados.

Geralmente quando o Lubuntu/Ubuntu insiste em não querer manter o teclado no ABNT2 (por motivos quais não faço ideia) eu uso o seguinte comando:

setxkbmap -model abnt2 -layout br -variant abnt2

É isso pessoal, até a próxima!

 

 

 

DNF – Gerenciamento de pacotes do Fedora 24

O DNF (“Dandified YUM”) é uma nova geração de gerenciador de pacotes para distribuições Linux baseadas em pacotes RPM. O DNF foi introduzido pela primeira vez no Fedora 18, e substituiu o YUM na versão mais recente, Fedora 24.

A ideia por trás do DNF é conseguir um aumento na performance e velocidade em relação ao YUM, além de melhorar o uso da memória e a resolução de dependências, entre outros fatores.

O DNF  só está disponível nativamente no Fedora Linux, no momento. Mas você pode instalá-lo em outros sistemas baseados em RPM se quiser usá-lo no Red Hat ou CentOS, por exemplo. Para isso, execute os comandos a seguir:

Usando o DNF para gerenciar pacotes:

1. Verificar a versão do DNF:
dnf –version

gerenciador-de-pacotes-dnf-01

2. Verificar os repositórios habilitados e desabilitados:
dnf repolist all

gerenciador-de-pacotes-dnf-02

3. Listar somente os pacotes instalados:
dnf list installed

gerenciador-de-pacotes-dnf-03

4. Listar somente os pacotes disponíveis:
dnf list available

gerenciador-de-pacotes-dnf-04

5. Listar todos os pacotes (instalados e os disponíveis):
dnf list

gerenciador-de-pacotes-dnf-05

6. Procurar um pacote usando o dnf:
dnf search stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-06

7. Visualizar dados sobre um pacote:
dnf info stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-07

8. Instalar um pacote:
sudo dnf install stellarium

gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-08

9. Atualizar um pacote já instalado:
dnf upgrade stellarium

10. Verificar e atualizar pacotes:
Verificando atualizações: A maneira mais rápida de verificar atualizações é tentar instalar as atualizações disponíveis usando o comando abaixo:
 dnf upgrade
Obs.: Observe que esse comando instala apenas as atualizações que podem ser instaladas. Se um pacote não pode ser atualizado, por causa de problemas de dependência, por exemplo, ele é ignorado.
11. Verificar atualizações do sistema com o DNF:
dnf check-update

Obs.: esse comando pode ser usado para saber quais pacotes instalados em seu sistema possuem novas versões disponíveis, no entanto, isso não significa que elas possam ser instaladas com sucesso.

gerenciador-de-pacotes-dnf-update-10

12. Atualizar todos os pacotes no sistema:
dnf update

gerenciador-de-pacotes-dnf-update-11

Ou como root entre no terminal:
su
Agora digite o comando para atualizar o sistema:
dnf update -y
13. Remover um pacote:
dnf remove stellarium
ou
dnf erase stellarium
gerenciador-de-pacotes-dnf-stellarium-12
14. Remover pacotes órfãos (que não são mais utilizados por nenhum programa):
sudo dnf autoremove
 gerenciador-de-pacotes-dnf-autoremove-13
 15. Obter ajuda do DNF:
dnf help

ou

man dnf
gerenciador-de-pacotes-dnf-help-14
16. Visualizar o histórico do DNF (comandos executados anteriormente):
sudo dnf history
gerenciador-de-pacotes-dnf-history-15
17. Listar todos os grupos de pacotes:
dnf grouplist
gerenciador-de-pacotes-dnf-grouplist-16
18. Instalar todos os pacotes pertencentes a um grupo:
sudo dnf groupinstall ‘Laboratório de Eletrônica’
gerenciador-de-pacotes-dnf-groupinstall-eletronica-17
19. Atualizar um grupo de pacotes:
sudo dnf groupupdate ‘Laboratório de Eletrônica’
20. Remover um grupo de pacotes:
sudo dnf groupremove ‘Laboratório de Eletrônica’
21. Sincronizar os pacotes instalados com as versões mais estáveis nos repositórios:
dnf distro-sync
gerenciador-de-pacotes-dnf-distro-sync-20
É isso pessoal espero que ajude a aprender um pouco mais sobre o DNF.
Até a próxima!

Comando Uname

O comando uname é usado para mostrar informações sobre o sistema no terminal.

Sintaxe: uname [opções]

Se não for usada nenhuma opção, por padrão será assumida a opção -s.

 

Opções do comando uname:

aluno@aluno001 ~ $ uname -a
Linux aluno001 3.16.0-38-generic #52~14.04.1-Ubuntu SMP Fri May 8 09:44:48 UTC 2015 i686 i686 i686 GNU/Linux

 

Para saber apenas a versão do Kernel.

aluno@aluno001 ~ $ uname -r
3.16.0-38-generic

 

O uname também pode ser usado para determinar a arquitetura do kernel (32 ou 64 bits).

Abaixo, o exemplo de um sistema 64 bits.

aluno@aluno001 ~ $ uname -m
x86_64

Agora para um sistema de 32 bits.

aluno@aluno001 ~ $ uname -m 
i686

Imprime na tela o nome do Kernel atual.

aluno@aluno001 ~ $ uname -s
Linux


Mostra o release do kernel atual.

aluno@aluno001 ~ $ uname -r
3.16.0-38-generic

 

 

 

É isso pessoal, até a próxima!