Particionando o HD para usar o Windows+Linux

Para particionar o HD para que possa usar o Windows e uma distribuição Linux deve fazer os seguintes procedimentos.

Obs.: O particionamento pode ser feito pelo Gparted, que geralmente vem no LiveDVD do Ubuntu e derivados, esse programa será usado nos procedimentos abaixo.

Nota: Em uma tabela de partição MSDOS, um HD com esse tipo de tabela (msdos), pode ter quatro partições primárias ou 3 partições primárias e uma partição estendida.

Mãos a obra:

  1. Quando só existe o Windows instalado na máquina (na partição primária), esta será redimensionada. Então abra o Gparted no LiveDVD e resize/redimensione a partição do Windows do tamanho que você quiser, eu aconselho que deixe pelo menos de 30 a 50 GB.
  2. Será criado então um espaço não alocado.
  3. Dentro do espaço não alocado, crie uma partição estendida.
  4. Dentro da partição estendida, crie uma partição lógica, no formato Ext 4, que será usada para instalar a raiz do sistema linux.
  5. Ainda dentro da partição estendida, crie uma partição swap, no formato linux-swap de 2 GB, que pode ficar no final da partição estendida.

Obs.:se sua máquina tiver 1 GB de memória, a sua partição Swap deve ter 1 GB de tamanho.

Agora que o HD já está particionado, na hora da instalação do Linux, você deve optar pelo Modo de Instalação Avançado, e escolher as partições que já foram criadas.

Até a próxima.

Comandos: como saber qual é o Hardware.

Segue aqui alguns comandos para identificação dos componentes de Hardware de uma máquina.

1. Qual é o hardware a minha máquina Linux ?

lspci   ou   dmidecode

2. Que hardware está usando qual módulo do kernel ? Observação: permissões de root são necessárias para executar este comando:

lspci –v ou lspci -vvv
hardinfo ou hardinfo lshw ou lshw-gtk ou hwinfo

3. BIOS Obter informações da BIOS:

biosdecode

Obter informações do fabricante da BIOS:

dmidecode -s bios-vendor

4. Obter informações sobre sua placa-mãe somente:

dmidecode –type baseboard

5. Quais dispositivos USB estão conectados ao computador:

lsusb

6. Informações da placa de vídeo:

lspci | grep VGA

7. Para saber pacotes (módulos) uma Placa de Vídeo específica.

 rpm -qa | grep nvidia
x11-driver-video-nvidia-current-32bit-349.12-0.1-omv2014.0.x86_64
dkms-nvidia-current-349.12-0.1-omv2014.0.x86_64
x11-driver-video-nvidia-current-349.12-0.1-omv2014.0.x86_64
nvidia-current-doc-html-349.12-0.1-omv2014.0.x86_64

8. Saber qual Placa/Chipset Gráfica com o driver e módulo está sendo usando.

  lspci -k | grep -A 2 VGA
VGA compatible controller: Intel Corporation 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller
Subsystem: Intel Corporation 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller
Kernel driver in use: i915
lspci -nnk
 VGA compatible controller [0300]: Intel Corporation 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller [8086:2e32] (rev 03)
 Subsystem: Intel Corporation 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller [8086:2e32]
 Kernel driver in use: i915
 Kernel modules: i915

9. Verificar o tamanho do disco rígido (hd) e partições Este comando listará também drives e pen drives USB. Observação: permissões de root são necessárias para executar este comando:

fdisk -l | grep GB

Verificar quais partições e sistemas de arquivos estão em uso nos meus discos rígidos:

fdisk –l

10. Saber qual é o arquivo de dispositivo do CD/DVD-ROM:

wodim –devices ou wodim –scanbus

11. Módulos do kernel Quais módulos do kernel linux estão carregados no momento ?

lsmod

Obter informações sobre qualquer módulo em particular:

/sbin/modinfo nome_módulo

Remover módulos:

modprobe –remove nome_módulo

Carregar um módulo do kernel:

modprobe nome_módulo

Qual hardware está usando qual módulo ? Observação: permissões de root são necessárias para executar este comando:

lspci –v ou lspci –vvv

12. Listar os cartões PCMCIA:

Lspcmcia

13. Tipo do Processador (CPU):

cat /proc/cpuinfo ou dmidecode –type 4

O meu processador está usando um conjunto de instruções de 32 ou 64 bits ?

cat /proc/cpuinfo | grep flags | grep lm

Se obtiver alguma saída, você tem 64 bits. Se nenhum resultado for apresentado, você está usando uma CPU de 32 ou mesmo 16 bits.

14. Memória RAM Quanta memória RAM está instalada no meu Linux e quanto dela está em uso (megabytes)? Isso incluirá também a memória de swap:

free –m
 ou
Top ou cat /proc/meminfo

15. Placa de Som Verificar as configurações da placa de som. Este comando revelará se sua placa de som está instalada e que módules estão sendo usados:

cat /dev/sndstat

16. Listar as placas wireless disponíveis:

lwconfig

17. Qual é a velocidade das ventoinhas ?

cat /proc/acpi/ibm/fan

18. Bateria Obter informação sobre a bateria em seu laptop:

powersave –b

19. Listar dispositivos Plug and Play BIOS

lspnp

Comandos Diversos do Sistema

Comandos de uso diversos no sistema.

clear
Limpa a tela e posiciona o cursor no canto superior esquerdo do vídeo.

date
Permite ver/modificar a Data e Hora do Sistema. Você precisa estar como usuário root para modificar a data e hora. Muitos programas do sistema, arquivos de registro (log) e tarefas agendadas
funcionam com base na data e hora fornecidas pelo sistema, assim esteja consciente das modificações que a data/hora pode trazer a estes programas (principalmente em se tratando de uma rede com muitos usuários) .

df
Mostra o espaço livre/ocupado de cada partição.

Sintaxe: df [opções]

onde:
opções:
-a Inclui sistemas de arquivos com 0 blocos.
-h, –human-readable Mostra o espaço livre/ocupado em MB, KB, GB ao invés de blocos.
-H Idêntico a -h mas usa 1000 ao invés de 1024 como unidade de cálculo.
-k Lista em Kbytes.
-l Somente lista sistema de arquivos locais.
-m Lista em Mbytes (equivalente a –block-size=1048576).
–sync Executa o sync antes de mostrar os dados.
-T Lista o tipo de sistema de arquivos de cada partição
-t tipo Lista somente sistema de arquivos do tipo tipo.
-x tipo Não lista sistemas de arquivos do tipo tipo.
Exemplos:

df, df -h, df -t vfat.

ln
Cria links para arquivos e diretórios no sistema. O link é um mecanismo que faz referência a outro arquivo ou diretório em outra localização. O link em sistemas GNU/Linux faz referência reais ao arquivo/diretório podendo ser feita cópia do link (será copiado o arquivo alvo), entrar no diretório (caso o link faça referência a um diretório), etc.
Exemplo:

ln [opções] [origem] [link]

du
Mostra o espaço ocupado por arquivos e sub-diretórios do diretório atual.

Sintaxe: du [opções]

onde:
opções
-a, –all Mostra o espaço ocupado por todos os arquivos.
-b, –bytes Mostra o espaço ocupado em bytes.
-c, –total Faz uma totalização de todo espaço listado.
-D Não conta links simbólicos.
-h, –human Mostra o espaço ocupado em formato legível por humanos (Kb, Mb) ao invés de usar blocos.
-H Como o anterior mas usa 1000 e não 1024 como unidade de cálculo.
-k Mostra o espaço ocupado em Kbytes.
-m Mostra o espaço ocupado em Mbytes.
-S, –separate-dirs Não calcula o espaço ocupado por sub-diretórios.
-x Não faz a contagem de diretórios em sistemas de arquivos diferentes do atual.

find
Procura por arquivos/diretórios no disco. find pode procurar arquivos através de sua data de modificação, tamanho, etc através do uso de opções. find, ao contrário de outros programas, usa opções longas através de um “-”.

Sintaxe: find [diretório] [opções/expressão]

free
Mostra detalhes sobre a utilização da memória RAM do sistema.

Sintaxe: free [opções]
 

Onde:
opções: -b Mostra o resultado em bytes.
-k Mostra o resultado em Kbytes.
-m Mostra o resultado em Mbytes.
-o Oculta a linha de buffers.
-t Mostra uma linha contendo o total.
-s [num ] Mostra a utilização da memória a cada [num] segundos.
O free é uma interface ao arquivo /proc/meminfo.

grep
Procura por um texto dentro de um arquivo(s) ou no dispositivo de entrada padrão.

Sintaxe: grep [expressão] [arquivo] [opções]

head
Mostra as linhas iniciais de um arquivo texto.

Sintaxe: head [opções]

nl
Mostra o número de linhas junto com o conteúdo de um arquivo.

Sintaxe: nl [opções] [arquivo]

uptime
Mostra o tempo de execução do sistema desde que o computador foi ligado.

dmesg
Mostra as mensagens de inicialização do kernel. São mostradas as mensagens da última inicialização do sistema.

Sintaxe: dmesg | less

uname
Retorna o nome e versão do kernel atual.

uname -a
Linux aluno001 3.16.0-38-generic #52~14.04.1-Ubuntu SMP Fri May 8 09:44:48 UTC 2015 i686 i686 i686 GNU/Linux
uname -svrm
Linux 3.16.0-38-generic #52~14.04.1-Ubuntu SMP Fri May 8 09:44:48 UTC 2015 i686
uname -s
Linux
uname -r
3.16.0-38-generic
uname -m
i686
uname -v
#52~14.04.1-Ubuntu SMP Fri May 8 09:44:48 UTC 2015

 

shutdown
Desliga ou reinicia a máquina.
shutdown <opções>
shutdown -h ou <horário> (em minutos)

Exemplos:

shutdown -h now
Desliga a máquina imediatamente.
shutdown 09:00 
A manutenção do servidor será iniciada às 09:00
shutdown -h 30 
Desliga a máquina após meia-hora.
shutdown -r now
Reinicia a máquina imediatamente.
shutdown –r 30
Reinicia a máquina após meia-hora.
shutdown -c 
Cancela o desligamento.

reboot / init 6 / telinit 6
Reinicia a máquina.

reboot
init 6
telinit 6

halt / init 0 / telinit 0
Desliga a máquina.

init 0
telinit 0
halt

Comandos de emergência do Linux

Quem é que já não se deparou com um travamento no Linux onde nem a combinação Ctrl+Alt+Backspace dá jeito?

Para situações como esta pode-se usar as teclas de emergência do kernel, que são comandos de baixo nível pouco conhecidos que podem desempenhar uma função primordial na vida de usuários Linux.

Desligando o computador

A primeira combinação de emergência é usada para sincronizar os discos e desligar o computador instantaneamente evitando problemas nos sistemas de arquivos. Ela é ideal para quem precisa desligar o computador rapidamente sem danificar seus sistemas de arquivos, ou quando a máquina trava e por qualquer motivo não permite o desligamento normal. Mantendo ALT pressionado, tecle Print Screen (ou PrtSrc) e depois O.

Você também pode usar o seguinte comando para encerrar o sistema: halt

Reiniciando o computador

Assim como o Ctrl+Alt+Del do MS-DOS o kernel do Linux também possui uma chamada de emergência que permite reiniciar a máquina. Veja como fazer: Mantendo ALT pressionado, tecle Print Screen (ou PrtSrc) e depois B.

Ou usar o comando: reboot

Reinicia o sistema. Equivale aos comandos ”sudo init 6” e ”sudo shutdown -r now”. shutdown

É a forma mais segura de reiniciar e finalizar o sistema, advertindo os usuários logados e bloqueando novos logons. Exemplos:

sudo shutdown -h now 

para encerrar o sistema imediatamente;

sudo shutdown -h +15 

para encerrar o sistema daqui a 15 minutos;

sudo shutdown -r 20:30 

O sistema será reiniciado as 20:30 horas!’” para reiniciar o sistema as 20:30 horas enviando a mensagem “O sistema será reiniciado as 20:30 horas!” a todos usuários logados.

Sincronizando os discos

Se você acha que a força vai cair e precisa trabalhar até a ultima hora mas tem medo de danificar seu sistema de arquivos, poderá sincronizar seus discos de tempos em tempos. Para sincronizar discos em caso de emergência: Mantendo ALT pressionado, tecle Print Screen (ou PrtSrc) e depois S.

Segurança

Se por algum motivo algo está ameaçando a segurança do seu sistema, como a execução acidental de um script malicioso como root ou de programa desconhecido, poderá colocar os discos como somente leitura e evitar danos mais sérios. Mantendo ALT pressionado, tecle Print Screen (ou PrtSrc) e depois U.

A ideia foi listar alguns comandos que, por não serem usados com frequência, acabam esquecidos (estou falando de mim mesmo). Outros comandos poderão, futuramente, serem adicionados a esta lista.

Créditos: http://linuxlike.blogspot.com.br/2009/08/comandos-basicos-do-linux.html

Créditos: http://wiki.ubuntu-br.org/ComandosBasicos

Até a próxima.

Combinações de Teclas de Segurança SysRq

USANDO A TECLA MÁGICA SYSRQ SE O LINUX TRAVAR.

Quem é que já não se deparou com um travamento no Linux onde nem a combinação Ctrl+Alt+Backspace deu jeito?

Para esta situação pode-se usar uma das combinações da tecla mágica SysRq (magic SysRq key), teclas para comandos de segurança ou de emergência contra falha do sistema.

Veja algumas das combinações que permitem, quase sempre, recuperar o controle do pinguim:
Nota: tecla SysRq = tecla PrtScr (ou Print Screen)

Alt+SysRq+r
Tira o teclado e o mouse do controle do servidor X (interface gráfica). Isso pode ser útil quando o X estiver travado. Pode-se mudar para um terminal e matar o X (ou ainda, verificar os logs).

Alt+SysRq+s
Realiza a sincronização de todo o sistema de arquivos montado, ou seja, escreve todos os dados em memória virtual para a física.

Alt+SysRq+f
Mata o processo devorador de memória.

Alt+SysRq+e
Envia um SIGTERM para todos os processos fazendo com que se preparem para o shutdown ou reboot, exceto para o init.

Alt+SysRq+i
Envia um SIGKILL para todos os processos, exceto para o init.

Alt+SysRq+k
Mata todos os processos que estão rodando no momento, incluindo a interface gráfica (alternativa ao Control+Alt+Backspace).

Alt+SysRq+b
Reinicia o sistema imediatamente, sem desmontar partições ou realizar sincronização.

Alt+SysRq+o
Desliga o sistema.

Créditos: http://linuxlike.blogspot.com.br/